sábado, 16 de outubro de 2010

Gaguez

De acordo com vários autores, a ocorrência da gaguez dá-se a partir das dificuldades de articulação normais comuns a todas as crianças por volta dos três anos de idade.

A maior parte das crianças atravessa esta fase sem problemas. Mas em algumas esta dificuldade normal pode transformar-se em gaguez.

Não há uma causa específica e nenhuma gaguez é absolutamente igual à outra.

Muitos dos sintomas manifestam-se em função do esforço excessivo do gago em evitar gaguejar. Essa repressão resulta numa fala repleta de falhas de ritmo, pausas silenciosas, frases incompletas, esforço físico, alteração na sincronização entre a respiração e a produção da fala.

Algumas sugestões para pais e professores:


Não "cole" ao seu filho o rótulo de gago.


Aceite as falhas ou quebras de ritmo no discurso da criança; elas fazem parte do processo de aquisição da linguagem.


Não diga à criança para não ter medo de falar, para ficar calma ou para respirar antes de falar.


Quando a criança falar olhe directamente para o seu rosto. Toda a sua atenção deve estar focada nela.


Crie e mantenha rotinas - horários para comer, para dormir, para ir para a escola, etc. Por vezes, a alteração de rotinas pode aumentar o estado de ansiedade liagada à gaguez.


Evite discutir na frente da criança. Mas não esconda dela factos importantes que possam mudar a rotina.


Ouça com atenção e paciência o que o(a) seu(ua) filho(a) tem para dizer.


Não seja impaciente. Sobretudo não traduza essa impaciência terminando as frases que a criança iniciou.


Leia histórias à criança antes de esta adormecer.


Promova situações em que a criança tenha que contar acontecimentos ou relatar histórias do seu dia.


Melhore a auto-estima da criança, elogiando-a sempre que tal se proporcione.


Transforme os momentos em que fala com o seu filho em momentos agradáveis.

Esteja consciente de que a família pode influir muito na prevenção e correcção da gaguez.


No entanto, nas situações mais "graves" é conveniente procurar sempre um terapeuta.


in Ajudas.com





1 comentários :

Céci disse...

Olá

Interessante tema. Gostei de passar por cá.

Bjinhos

Céci